Alimentação

Uma alimentação equilibrada e saudável e uma ingestão adequada de água têm um papel muito importante na promoção da saúde. Os hábitos alimentares inadequados são atualmente, em Portugal, o terceiro principal fator de risco que mais contribui para o total de anos de vida saudável perdidos. Um consumo alimentar adequado e a consequente melhoria do estado nutricional dos cidadãos tem um impacto direto na prevenção e controlo das doenças mais prevalentes a nível nacional.

Em Portugal, é utilizada a Roda dos Alimentos como guia alimentar para uma alimentação saudável. As porções de alimentos e água diárias recomendadas para uma alimentação saudável e equilibrada são as seguintes:

  • 1,5 a 2L de água.
  • 3 a 5 porções de produtos hortícolas.
  • 3 a 5 porções de frutas.
  • 4 a 11 porções de cereais e derivados, tubérculos.
  • 2 a 3 porções de lacticínios.
  • 1,5 a 4,5 porções de carnes, peixe e ovos.
  • 1 a 2 porções de leguminosas.
  • 1 a 3 porções de gorduras e óleos.120

Vida ativa

Uma vida mais ativa com a prática de atividade física, melhora a nossa saúde física e mental, reduz e atrasa o aparecimento de algumas doenças e ajuda a controlar o excesso de peso. Especialmente com o avançar da idade é muito importante uma prática regular de atividade física, que ajuda na diminuição da degradação do sistema imunitário. A prática de dança e caminhadas ao ar livre são exemplos de atividades possíveis de realizar por quase todos e para muitos encaradas como lazer. Acabam por ser bastante úteis na manutenção e promoção da nossa saúde.

É importante adequar a atividade física à idade e condição da pessoa em causa. Desta forma, as recomendações da Organização Mundial de Saúde são as seguintes:

  • as crianças e adolescentes devem realizar pelo menos 60 minutos de atividade física, três dias por semana;
  • nos adultos recomenda-se 150 a 300 minutos de atividade moderada ou 75 a 150 minutos de atividade vigorosa ou, ainda, uma combinação das duas, ao longo da semana;
  • no caso dos adultos ou idosos com doenças crónicas os tempos de atividade física recomendada são similares, ressalvando que quando não for possível cumprir as recomendações, as pessoas em causa devem ter como objetivo praticar atividade física de acordo com suas capacidades;
  • as mulheres grávidas e no pós-parto devem praticar 150 minutos de atividade moderada.121

Mente sã

Num mundo em constante mudança, a ansiedade e o stress podem ter efeitos nocivos na nossa saúde mental pelo que cuidar dela é de extrema importância. A saúde mental é a base para o bem-estar e o funcionamento eficaz das pessoas.

A mente sã é um estado de equilíbrio entre o nosso interior e o ambiente que nos rodeia. Factores físicos, psicológicos, sociais, culturais, espirituais e outros factores inter-relacionados participam na produção deste equilíbrio.

Uma mente saudável dá-nos capacidades para manter boas relações interpessoais, para conseguirmos realizar as nossas tarefas e atividades do dia-a-dia e para sermos pessoas mais felizes e equilibradas.

O Mindfulness é uma prática bastante utilizada na atualidade, que consiste na capacidade de viver um momento de cada vez e de estar com a máxima consciência em cada movimento, situação e respiração. Estas técnicas podem ajudar a reduzir o stress e a melhorar a saúde. Segue-se um exemplo prático e muito útil de Mindfulness:

  • ao iniciar uma caminhada, preste atenção às sensações do seu corpo. Inspire pelo nariz. Deixe o seu abdómen expandir-se totalmente. Depois expire pela boca. Dê especial atenção às sensações de cada inalação e exalação.
  • enquanto continua a andar, envolva plenamente os seus sentidos. Repare em cada visão, tacto e som. Quando a sua mente vagueia, traga suavemente a sua atenção de volta ao momento.122, 123

Vacinação

A importância da vacinação para o controlo, eliminação e erradicação de doenças está associada ao progresso sem precedentes da humanidade.

A imunização previne atualmente 3.5 a 5 milhões de mortes por ano de doenças como difteria, tétano, tosse convulsa, gripe e sarampo.Menos mortes e menos doentes crónicos são alguns dos benefícios diretos, mas também a maior esperança média de vida, maior equidade no acesso à saúde e melhores condições de bem-estar.125

A vacinação é custo-efetiva, ou seja, o seu custo compensa largamente os custos associados ao tratamento das doenças e das suas complicações.

Hoje, cerca de 30 doenças podem ser prevenidas, ou a sua incidência diminuída, através da vacinação.

Os vírus e bactérias estão em toda a parte, tanto no ambiente como no nosso corpo. Quando uma pessoa é suscetível e estes encontram um organismo adverso, isso pode causar doença ou morte. Apesar do nosso corpo ter muitas formas de se defender dos organismos que causam doença, as vacinas podem dar uma ajuda, treinando o nosso corpo para combater organismos específicos causadores de doença, reforçando a memória imunológica contra esses agentes patogénicos e combater rapidamente numa eventual exposição futura. Quando alguém é vacinado, fica muito provavelmente protegido contra a doença em causa.
Mas nem toda a gente pode ser vacinada. As pessoas com patologias subjacentes que enfraquecem o seu sistema imunitário (tais como cancro ou VIH), ou que tenham alergias graves a alguns componentes da vacina, não deverão ser vacinadas com certas vacinas.
Mas essas pessoas podem ficar protegidas, se viverem entre outras que estejam vacinadas. Quando houver muitas pessoas vacinadas na comunidade, o agente patogénico tem dificuldade em circular, porque a maioria das pessoas que encontra estão imunizadas. Por isso, quanto mais pessoas forem vacinadas, menor a probabilidade de as pessoas que não podem ser protegidas pelas vacinas correrem o risco de ficarem expostas aos agentes patogénicos perigosos. A isso chama-se imunidade de grupo.126

saude24